Principais notícias corporativas (Pregão do dia 07/01/2021):Siga-me I... - GuiaInvest

Ibovespa

Desconectado
  • 110.035
  • keyboard_arrow_down1,97%
  • 38,24B
  • 26/02/21
Crie sua conta
ou
faça o login
para criar sua lista de ações
TOP
Trader do Cerrado
  • 7 de janeiro às 09:41
Principais notícias corporativas (Pregão do dia 07/01/2021):
Siga-me Instagram @traderdocerrado (www.instagram.com/traderdocerrado)

-Cogna (#COGN3): A Cogna prestou esclarecimentos ao mercado diante da notícia veiculada no Jornal Valor Econômico nesta data e confirmou que se encontra em tratativas para potencial transação envolvendo tanto a compra quanto a venda de determinados ativos educacionais entre a Eleva Educação S.A, de um lado, e subsidiárias diretas ou indiretas da Cogna, de outro lado. “A transação poderá envolver a venda de determinadas escolas controladas direta ou indiretamente pela Saber à Eleva, bem como a aquisição de sistema de ensino detido pela Eleva pela Somos Sistemas de Ensino S.A., sociedade controlada pela Cogna e pela Vasta Platform Limited. A Cogna e a Saber informam ainda que nenhum documento vinculante a respeito da transação foi assinado até a presente data e que não há qualquer garantia de que um acordo será alcançado entre as partes”, aponta a companhia em comunicado.

-Klabin (#KLBN11): A fabricante de papelão e celulose Klabin precificou nesta quarta-feira uma captação de US$ 500 milhões em títulos sem garantia de 10 anos, informou o IFR, serviço da Refinitiv. Com demanda de investidores de cerca de US$ 4 bilhões, a rentabilidade sugerida ao investidor caiu da faixa de 3,75% para 3,2%. Os papéis são atrelados a metas de sustentabilidade, como reutilização e reciclagem de água e a reintrodução e reforço de espécies aquáticas no ecossistema.

-A Neoenergia (NEOE3) iniciou a operação, no último dia 27 de dezembro, do terceiro de cinco trechos que fazem parte da linha de transmissão do lote de Dourados, em Mato Grosso do Sul. O trecho LT 230 kV Nova Porto Primavera-Ivinhema tem 64,5 km de extensão. Segundo a companhia, a entrega foi realizada com 19 meses de antecipação em relação ao contrato firmado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no leilão realizado em 2017.

-Pague Menos (PGMN3) aprovou a liquidação de dois contratos de empréstimo com o banco Santander (SA:SANB11) no valor total de R$ 170 milhões, a uma taxa CDI de 4% e que venceriam em agosto de 2022, informou a empresa em comunicado nesta quarta-feira (6). A companhia também informou a contratação de uma operação de capital de giro no valor de R$ 160 milhões, à taxa de CDI de 2,5% e vencimento em janeiro de 2023.

-Vale (VALE3): Representantes do governo de Minas Gerais e da Vale terão uma nova reunião nesta quinta-feira para buscar avanço em um acordo sobre Brumadinho. Em declaração à Reuters, Mateus Simões, secretário-geral da administração estadual, disse que o governo de Minas Gerais espera fechar um acordo superior a R$ 28 bilhões junto à mineradora como reparação pelo desastre de Brumadinho, que deixou centenas de mortos em janeiro de 2019. A melhor estimativa da Vale para os custos associados a Brumadinho, disse anteriormente uma fonte à Reuters que acompanha o caso, era de um total de R$ 29,6 bilhões, sendo R$ 19 bilhões em um potencial acordo global como o buscado junto ao governo de Minas e outros órgãos.

-MRV (#MRVE3): A MRV informou nesta quarta-feira que concluiu a venda do empreendimento Deering Groves, em Miami, com valor geral de venda (VGV) de US$ 57 milhões. O ativo tem previsão de geração de caixa de US$ 21 milhões de dólares, com base no lucro operacional projetado após 12 meses de estabilização. Esta é a primeira venda de um empreendimento da subsidiária da MRV nos EUA, a AHS Residential. O Deering Groves fazia parte de um grupo de sete empreendimentos, com um total de 1.450 unidades e cerca de US$ 306 milhões de VGV.

-Light (LIGT3) e Cemig (CMIG4): A elétrica Light informou nesta quinta que o conselho de administração da companhia aprovou a realização de uma oferta pública de distribuição primária e secundária de 137.242.528 ações. A oferta, parte primária e parte secundária, vem em meio a um plano de desinvestimentos da Cemig, que tem 22,6% da Light e tem buscado vender alguns ativos para reduzir dívidas. O preço por ação será fixado após a coleta de intenções de investimento. A Cemig, em comunicado em separado, informou que seu conselho de administração aprovou a venda de cerca de 68,62 milhões de ações ordinárias detidas pela companhia na elétrica fluminense Light.

-São Martinho (SMTO3): O Bradesco BBI elevou a recomendação para as ações da São Martinho de neutra para outperform (desempenho acima da média do mercado), destacando que o rali dos preços de petróleo não foi totalmente precificado pela companhia produtora de açúcar e álcool. O preço-alvo foi elevado de R$ 26 para R$ 36, o que configura um potencial de valorização de 26% em relação ao fechamento da véspera, a R$ 28,67 – na última sessão, os papéis já haviam subido cerca de 5%.

-Braskem (#BRKM5): A petroquímica Braskem informou que sua controlada Braskem Idesa retomou parcialmente a produção de polietileno com base em um modelo de negócio experimental para a indústria plástica mexicana. A empresa disse que tomou medidas legais dentro do contrato de fornecimento de etano com a Pemex, para preservar direitos no cumprimento de obrigações “visando a proteção do seu investimento no México”. As medidas preveem um período de remediação e negociação para buscar uma solução entre as partes.

-SLC (SLCE3) e Terra Santa (TESA3): A SLC Agrícola recebeu aprovação sem restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição da totalidade da Terra Santa Agro, segundo publicação do órgão no Diário Oficial da União desta quinta-feira. A SLC divulgou no final de novembro passado a assinatura de um memorando de entendimento com termos e condições para assumir as operações da Terra Santa Agro, em transação avaliada em R$ 550 milhões de reais. O negócio envolverá uma reorganização societária prévia da Terra Santa Agro, que criará um veículo (TS LAndCo) para segregar ativos e passivos vinculados às propriedades rurais da companhia, que estarão excluídos da operação.

-Eneva (#ENEV3): A empresa de gás e energia elétrica Eneva teve expansão das reservas certificadas em 2020 nas bacias do Parnaíba e do Amazonas. As reservas de gás da empresa na bacia do Parnaíba, onde estão os seus principais ativos, fecharam o ano passado em 25,976 bilhões de metros cúbicos ante 24,072 bilhões de m³ no fim de 2019.

-Petrobras (PETR3;PETR4): A Petrobras elevará o gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, em 6% a partir desta quinta-feira, segundo a assessoria de imprensa da empresa. Com o reajuste, o valor praticado pela Petrobras irá a R$ 35,98 por 13kg.

Fonte: Infomoney, Investing e Plantão de notícias B3

Bom dia e ótimos negócios a todos!

VQV!

👉 Siga @traderdocerrado
🔔 Ative as notificações para não perder nada.

Conteúdo do Instagram @traderdocerrado®