#PRIO3 Sobre a perpetuidade, hoje vivemos pela primeira vez (desde a ... - GuiaInvest

Ibovespa

Desconectado
  • 113.681
  • keyboard_arrow_down0,78%
  • 16,77B
  • 21/02/20
Crie sua conta
ou
faça o login
para criar sua lista de ações
TOP
Leonardo TNA PRO
  • 17 de outubro de 2019 às 15:11
#PRIO3 Sobre a perpetuidade, hoje vivemos pela primeira vez (desde a criação da PetroRio), momento em que temos mais projetos do que capital investir. Estamos priorizando a aquisição de ativos, pois sabemos que o desenvolvimento dos campos pode esperar (o óleo não vai fugir de lá). Mas esta janela de M&A é grande e nunca tivemos uma janela tão boa. Então nossa prioridade precisa ser essa. Estamos olhando diversos ativos, alguns que não estão no radar de nenhum investidor. Nosso capital hoje será alocado para estas aquisições primeiro e, somente depois, para desenvolvimento dos Campos. É por isso que estamos dividindo as Campanhas de Perfuração de Polvo e Frade em duas etapas. Para poder postergar a segunda etapa se precisarmos dos recursos para fechar uma aquisição iminente. Acreditamos que estas aquisições em estudo nos darão perpetuidade (e a percepção disso dos investidores). Novos ativos incorporados e produzindo nos fornecerão fluxo de caixa novo para se alavancar ainda mais. Poderemos inclusive dar o novo ativo como garantia para novas dívidas, tendo assim poder de fogo para mais aquisições, e assim por diante. Portanto, esse é o ciclo que buscamos. Nossa estratégia central. Hoje temos três ativos em nosso portfolio, o que ainda é pouco. Quanto ao preço do óleo, está fora do controle de qualquer petroleira no mundo. O que nós controlamos são os custo dos nossos ativos e isso estamos reduzindo para comportar um preço de óleo cada vez menor. Estamos com um breakeven hoje de 30-35 dólares por barril. Esse número já foi bem maior. Ao reduzir o custo pro barril nós garantimos uma boa geração de caixa mesmo em tempos de maior adversidade (hoje estaríamos no azul mesmo com o Brent a 35 dólares). Sobre o shale, estamos conversando com várias empresas de private equity que confirmam que o dinheiro para esta modalidade está esgotando, ou seja, o crescimento do shale não é sustentável. Somado a isso, a Opep+ está comprometida com os cortes e em manter o nível de brent em patamares saudáveis, então não estamos muito preocupados no curto e médio prazo. Concluindo, somos agressivos no que podemos controlar. E continuaremos assim. Espero ter ajudado. Qualquer dúvida nos procure. Abraços, GEORGE​KASSAB HEAD OF INVESTOR RELATIONS​Praia de Botafogo, 370 · 13º andar​Botafogo · Rio de Janeiro/RJ · 22250‑040​+55 21 3721‑ 2129​gkassab@petroriosa.com.br