#DAGC #POMO3 #FRAS3 #LEVE3 #RAPT4 Após 15 anos de superávits, Brasil ... - GuiaInvest

Ibovespa

Desconectado
  • 113.681
  • keyboard_arrow_down0,78%
  • 16,77B
  • 21/02/20
Crie sua conta
ou
faça o login
para criar sua lista de ações
TOP
#DAGC #POMO3 #FRAS3 #LEVE3 #RAPT4

Após 15 anos de superávits, Brasil poderá voltar a ter deficit no comércio bilateral com a Argentina
Esse resultado deveu-se, principalmente, a uma forte retração de 40,06% nas exportações brasileiras, comparativamente com o mesmo período de 2018. Em contrapartida, apesar de também terem recuado, as vendas argentinas caíram num ritmo mais suave, de apenas 3,91%.
Segundo o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, de janeiro a agosto as exportações para o país vizinho caíram 40,06%, puxadas por uma redução ainda maior, da ordem de 53,1%, nas vendas de automóveis, isoladamente o principal produtos embarcado pelo Brasil para a Argentina, responsável por 21% de todo o volume embarcado para o país vizinho.

Terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas da China e dos Estados Unidos, a Argentina acumula desde o ano de 2004 sucessivos déficits no comércio com seu principal parceiro em todo o mundo. Entretanto, é bem provável que este ano a era marcada por 15 anos consecutivos de superávits para o Brasil chegará ao fim e a Argentina voltará a ser superavitária nas trocas comerciais com os brasileiros.

Dos cinco principais produtos exportados este ano para a Argentina, todos, sem exceção, amargaram quedas expressivas. Além dos automóveis (retração de 53,1%), foram registrados recuos nas exportações de partes e peças para automóveis e tratores (28,9%), demais produtos manufaturados ( 25,5%), veículos de carga (71,4%) e minérios de ferro (20,7%).
Via AEB, SECEX e COMEX.